Bate-Papo Mensal e Semestral (Jun/17) – De volta aos trilhos

0
422

Resumo do Mês

No mês de Junho o fundo reverteu a perda de Maio, subindo 12,4% ante a queda de 11,8% no mês anterior, enquanto o Ibovespa subiu apenas 0,3% após cair 4,1%. O CDI no período acumulou alta de 0,8%. Na segunda quinzena do mês, o fundo subiu 4,8% e a bolsa 1,6%.

No último dia de Maio o Comitê de Política Monetária cortou a taxa Selic em 1 ponto percentual para 10,25%. Esta foi a sétima queda consecutiva, que já soma 4 pontos percentuais em 8 meses. Partindo de 14,25%, a queda gera uma redução de 28% nas despesas dos juros atrelados ao CDI, uma ajuda importante para as empresas sobre-endividadas em função da crise e para as que estão contraindo dívida para novos investimentos.

Os índices de confiança da FGV, divulgados no final de Junho, mostraram leves quedas atribuídas a crise política e ao aumento da incerteza sobre a aprovação das reformas, entretanto um único dado é pouco para indicar a reversão na tendência de melhora dos indicadores. Ainda, na última rodada de conversas com empresas, na ótima conferência do Citibank, grande parte reportou que a crise política teve impacto de curta duração nas vendas, que continuam em recuperação.

Ainda na conferência, como noticiado, Meirelles manteve as previsões de crescimento do PIB para 2017, porém agora enxerga viés de baixa. Alinhado com o discurso político, Meirelles tem esperança na aprovação da reforma da previdência e indicou que o atraso representa uma perda pequena diante dos benefícios futuros. Por último, Meirelles frisou o impacto positivo das reformas micro-econômicas que está promovendo com o objetivo de reduzir a burocracia e melhorar o ambiente de negócios no país, dentre as quais destaca-se a reforma trabalhista.

O cenário, até agora, mostrou-se alinhado à expectativa de continuidade da recuperação da economia, como falamos no artigo sobre o Fundo a turbulência política. Por isto, mantemos inalterada a estratégia da carteira, que continua perto da maior exposição comprada permitida, ao redor de 100%. Estamos atentos ao desenrolar da crise política, que se culminar na mudança de direção da política econômica, nos fará reformular a estratégia da carteira.

As altas na carteira foram generalizadas e a maior parte contrapôs as quedas de Maio, como a alta de 6,7% de Locamérica após cair 3,9% no mês anterior, e a alta de 12,8% de Iochpe-Maxion após cair 11,7%. Estas foram as ações que mais contribuíram para a alta do fundo em Junho.

31-mai-1730-jun-17Variação
Versa2,4152,71512,4%
Ibovespa62.71162.9000,3%
CDI aa11,1%10,1%0,8%

Resumo do Semestre

O primeiro semestre de 2017 teve final melancólico para o Ibovespa que após atingir 69.052 em Fevereiro encerrou o período 9% abaixo, a 62.900. Apesar das empresas da bolsa terem divulgado, de forma geral, bons resultados no primeiro trimestre do ano, a volatilidade política gerou uma incerteza econômica que impediu, por ora, a continuação da alta que começou em 2016.

O Versa, por outro lado, em função da carteira long & short, teve um semestre de grande geração de alfa, terminando em alta de 43,1%. Apesar do fundo ter carregado uma posição líquida caixa (que contabiliza as opções pelo prêmio) média de 80%, e ajustada pelo delta das opções de 90%, a grande carteira de valor relativo diminui a correlação do fundo com ao bolsa, que foi de apenas 30%. Com isso, a ligeira alta da bolsa teve baixa influência na carteira e o resultado advém quase na totalidade da geração de alfa, como deve ser em um fundo com benckmark CDI, que teve rentabilidade de 5,6% no período.

O investimento que mais contribuiu para o desempenho do semestre foi a Locamérica, que subiu 56% no período impulsionada pela aquisição da Ricci, como escrevemos no Bate-Papo de Março, seguido pelo investimento em Gerdau, que valorizou 25% em parte pelo fechamento do spread ON-PN, como reportamos no Bate-Papo Quinzenal também de Março, mês no qual o fundo subiu 18,3%. A maior perda da carteira foi nas posições vendidas a descoberto nas varejistas Lojas Renner e Raia Drogasil, que subiram 31% e 15% no período, respectivamente. O investimento em Lojas Renner foi desfeito quando identificamos que as vendas de vestuário estavam se recuperando com maior velocidade do que o estimado. Por outro lado, continuamos short em Raia Drogasil pelos motivos expostos no artigo RADL3, o short de maior convicção da carteira.

30-dez-1630-jun-17Variação
Versa1,8972,71543,1%
Ibovespa60.22762.9004,4%
CDI aa13,6%10,1%5,6%

Deixe uma resposta