Colhendo os frutos

0
408

CARTA MENSAL – MARÇO 2017

Prezado investidor,

O mês de março foi marcado pela confirmação de que os indicadores de inflação seguem em queda, fortalecendo a percepção pelo mercado de que teremos quedas de 1% nas duas próximas reuniões do COPOM e de que a atividade econômica continua bem fraca, com o destaque negativo tendo vindo dos indicadores de serviços.

Em meio a este cenário econômico, destacamos a queda, no final do mês, da TJLP de 7,5% para 7% ao ano. Também destacamos que a TJLP será alterada para TLP (Taxa de Longo Prazo) e utilizará, como referência, a taxa de juros real expressa pelas NTN-Bs. Apesar de pouco comentado, este sinal soma-se a outros positivos e que têm sido adotados pela equipe econômica do presidente Michel Temer.

Com essa alteração, os empréstimos subsidiados pelo BNDES diminuirão ao longo do tempo, passando os mesmos a utilizar parâmetros de mercado. Com a redução na demanda por essas linhas de crédito outrora subsidiadas, diminuirá a pressão sobre a taxa SELIC na promoção de políticas monetárias contracionistas, diminuindo, consequentemente, o custo dos futuros ajustes sobre os demais tomadores de crédito na economia.

Com a revisão do crescimento econômico de 2017 para baixo e para preservar os compromissos orçamentários, o Governo anunciou cortes adicionais de despesas e redução dos subsídios tributários sobre a folha de pagamento das empresas.

Com o julgamento pelo TSE da chapa Dilma-Temer se aproximando e, em meio a estes sinais ambíguos da economia, o Índice IBOVESPA sofreu uma queda de 2,5% no mês de Março. Nosso fundo, entretanto, subiu 4,6% no período, superando os 25% no ano.

Dentre os destaques no mês, apontamos o excelente desempenho das ações da Locamérica, com alta de 20%. A empresa que já havia promovido importantes ajustes ao longo dos últimos dois anos, melhorando suas margens operacionais e seus controles internos, preparou-se para um novo ciclo de crescimento.

Após a aquisição da Panda no final de 2016, a empresa anunciou em março a compra da Auto Ricci, presente na região Sul do Brasil. Com esta aquisição a Locamérica passou a ser a maior empresa de aluguel de frotas do país e a quarta maior em locações de autos como um todo. O interessante é que ambas empresas são complementares em termos de presença regional e a empresa resultante será 50% maior.

Estimamos que as sinergias oriundas das áreas financeiras e de compras serão bastante materiais. Também acreditamos que a empresa finalmente entrará no radar de uma maior gama de investidores. Nesse caso, a cada dia nos parece mais exagerado o desconto que a empresa tem em relação a Localiza, maior empresa de aluguel de carros no país. Acreditamos que esse desconto tende a diminuir conforme os resultados da empresa reflitam essas sinergias.

Continuamos otimistas com relação à aprovação da Reforma da Previdência durante o terceiro trimestre do ano. Caso o texto preserve os principais parâmetros do projeto original, a percepção de risco Brasil sofrerá importantes e positivas revisões. Não é difícil imaginar os juros reais longos de mais longo prazo ao redor de 4% no final deste ano e, consequentemente, a continuidade nessa tendência de apreciação das ações.

Também acreditamos ser pouco provável que o julgamento do TSE leve à cassação do mandato do presidente Temer, ainda que a presença deste julgamento seja bastante negativa para o país e para a estabilidade política.

Por fim, ressaltamos de forma recorrente para os nossos investidores que, diante da presença de riscos relevantes, os retornos esperados são proporcionalmente maiores. Tão logo esses principais fatores de risco fiquem para trás, os ativos brasileiros se encontrarão noutro patamar de preços, substancialmente superiores aos atuais, tudo o mais constante.

Diante do sucesso do atual governo na aprovação das principais reformas remanescentes, aumentarão de forma importante as chances de que nas eleições de 2018 o vencedor tenda a preservar essas conquistas, abrindo espaço para um ciclo mais longo de prosperidade. Mas por ora, vamos focar nos próximos dois trimestres.

Atenciosamente,

André Gordon

Alocação Setorial do GTI Dimona Brasil FIA

Deixe uma resposta