É hora de investir

118
2120

118 COMMENTS

  1. Post meu em 26 de Janeiro de 2018 na postagem do resultado quinzenal do fundo:

    “Vi uma reportagem do ano passado quando o fundo ainda não era tão conhecido que a gestora pretendia expandir sua divulgação e disponibilizá-lo em grandes corretoras. Mal completaram quatro meses que o fundo foi disponibilizado na Órama e vocês já estão pensando em fechar? Nesse cenário, qual seria objetivo de formar uma nova asset com o fundo carro-chefe fechado?

    Entendo que a captação está crescendo exponencialmente, mas a maioria das pessoas que estão entrando no fundo estão se iludindo achando que esses resultados fantásticos serão uma constante, não tem experiência com renda variável e não terão estômago pra quando vier uma correção mais forte do mercado.

    Minha estratégia para o Versa é de fazer pequenos aportes regularmente principalmente em correções como em Novembro e Dezembro. O fundo com iminência de fechamento nos “força” a fazer um aporte maior para aproveitar a janela de oportunidade, mas quando vier a maré baixa o pânico se instala e a corrida dos aventureiros de primeira viagem pedindo resgate vai acontecer.

    Acho que seria muito mais saudável para o fundo e investidores aumentar o tempo de resgate para D+30 ou até D+60 e permanecer com o fundo aberto.

    Espero que vocês também levem isso em consideração.

    Abraço!”

    Admiro a equipe de gestão do fundo, principalmente por disponibilizarem uma estratégia alavancada ao público em geral, mas em diversos momentos foi afirmado em mais de um canal de informação que o Versa raiz não seria mais reaberto. Mal passaram 4 meses e o fundo já reabriu, o que me causa uma grande perda de confiança.

    Tive que aumentar minha posição na janela de fechamento, mesmo com várias ações fazendo novas máximas e contrariando minha estratégia citada no post acima, pois acreditei na equipe e que seria a última oportunidade de investir no fundo.

    Os cotistas antigos foram privados de novos aportes enquanto a sardinhada que entrou em peso na alta, vai debandando na baixa.

    Desejo boa sorte a equipe, mas não me sinto mais seguro em aumentar os aportes nessa nova janela do fundo. Aguento volatilidade numa boa e acho ótima, pois aproveito esses momentos para fazer meus investimentos, mas quebra de confiança não dá.

    []’s

    • O problema do Versa é que virou mania justo quando tava no high. Igual sempre acontece na bolsa. Penso que fizemos bem de evitar mais aportes nas máximas, e estamos dando a oportunidade das pessoas que ficaram de fora entrarem agora, com maior upside. Esperamos encher o tanque, valorizar o patrimônio , e nunca mais abri-lo novamente. Esse é o nosso plano. Um abraço

      • Boa tarde prezado Luiz Alves,

        Já acompanhava o trabalho da GTI via o DIMONA e justamente, a “chancela” dada por eles no começo do trabalho chamou a atenção do VERSA.

        Minha dúvida principal antes de entrar no fundo, foi justamente o tamanho do mercado de empréstimos, para o fundo conseguir alocar e realizar os shorts pensados.
        Analisando o comportamento do cotista, que abre os olhos para máximas históricas e esquece que não está comprando um clássico pair trading o resgate é até normal fugir e desesperar na baixa e comprar na alta.

        Parabéns pelo trabalho! E Suce$$o para todos os cotistas.

    • Há 10 dias disseram que não havia previsão de reabertura, e agora anunciam reabertura para o dia útil seguinte… Também fiquei decepcionado, especialmente pela falta de antecedência dos comunicados, tanto de fechamento quanto de reabertura, além da desconfiança com essas decisões tomadas, ao que tudo indica, de última hora.

    • Rio de Janeiro, 07 de junho de 2018.
      COMUNICADO
      VERSA LONG BIASED FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO
      CNPJ nº 18.832.847/0001-06
      Prezados,
      Comunicamos que o fundo VERSA LONG BIASED FUNDO DE INVESTIMENTO
      MULTIMERCADO, inscrito no CNPJ sob o nº 18.832.847/0001-06 (“FUNDO”), será reaberto no dia
      11/06/2018, sendo novamente fechado para novas aplicações no fechamento do dia em que seu patrimônio
      líquido atingir o valor de R$ 150.000.000,00 (cento e cinquenta milhões de reais).
      Cabe ressaltar ainda que as demais regras de movimentação permanecem aplicáveis e sem qualquer
      alteração, tal como estabelecido no Formulário de Informações Complementares do FUNDO, que se encontra
      disponível na sede do Administrador e no site da CVM.
      Colocamo-nos à disposição para esclarecimentos adicionais que se façam necessários.
      Atenciosamente,
      BNY MELLON SERVIÇOS FINANCEIROS
      DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A.

  2. Sou um dos ¨sardinhas¨, apesar de ter alguma experiência com renda variável, mas é dificil vc ver a bolsa cair 3 por cento e o fundo derreter 10, nos ultimos 40 dias 30 por cento de queda. Vc diz no video q estão reduzindo a exposiçao do fundo mas parece q nao está surtindo efeito. Acho que até investidores mais experientes devem estar receosos com essa situação, não vou passar fome se o fundo quebrar mas confesso q não estou confortável com essas quedas expressivas. Um abraço

  3. Mesmo para um investidor de perfil arrojado é claro que uma queda tão acentuada como vem ocorrendo pode abala, inclusive em termos comparativos.
    A questão é, alguma perspectiva de não perdermos 100% precisa ser apresentada.

  4. Decepcionado com a gestão do fundo. Se o fundo tava no high na época do fechamento onde atraiu milhões de aportes, era pra ter dado uma freada no Direcional, preservando o capital dos cotistas. Entrei forte nesta barca porque iria fechar pra captação. Tomei um baita prejuízo com o dinheiro investido oriundo de minhas economias. Agora, tô zerando minha posição, vou tentar recuperar no trabalho do dia a dia. Boa sorte aos que ficam!!!!!!

    • Junior, se tivéssemos feito o que você falou e a bolsa tivesse subido a 100k pontos, você estaria aqui reclamando da mesma forma, falando que tinha comprado um fundo que havia subido muito mais que a bolsa, e depois da captação não subiu mais.

      Fazemos aqui sempre a mesma coisa, independente do Versa ter 15 ou 150 milhões. Não temos controle sobre as condições do mercado. O que temos é consistência na estratégia.

      Um abraço

  5. Qual o nível de alavancagem atual do Versa? Com a volatilidade atual da bolsa, não seria prudente reduzir um pouco a alavancagem? Não acho improvável um pânico maior do mercado nos próximos meses, e consequentemente teríamos uma queda extremamente profunda e de difícil recuperação.

    • Ricardo, tudo bem? Como falamos no vídeo, controlamos a alavancagem de forma a mantê-la em um patamar confortável, porém alto como é característico do fundo. É prudente reduzir as posições quando as ações estão caras de forma geral. Não é o caso, agora. O que você assistiu foi um pânico no mercado. Nosso trabalho de gestão é isolar os sentimentos e analisar friamente os números e os cenários. Como os fundamentos da economia brasileira continuam melhorando (e aqui está a maior dificuldade em ser racional), a queda da bolsa é uma oportunidade de compra. Não acho improvável nos próximos meses a bolsa fazer novas máximas. Acho mais improvável a bolsa cair outros 15%. Um abraço,

    • Achávamos as ações baratas e por isso estávamos comprados. Quando o stress aumentou, operamos um pedaço do movimento protegidos, e depois soltamos novamente pois nossas análises fundamentalista (que temos escrito nos artigos) indicaram que as ações ficaram muito baratas

  6. Luiz Alves, bom dia . Desculpe a franqueza e comparação. Estava olhando o relatório da Dimona GTI e vi que os caras são muito organizados. Primeiro os cotistas , depois as captações. Parece que o desespero é tão grande no Versa , que é mais importante enviar um monte de posts justificando novas entradas do que apresentar os resultados. Sei que n são obrigados , mas seria o mínimo esperado. Já é dia 09 ! Na CVM os dados são defasados.

    • Luís Silva, “Desespero
      No Versa” francamente, nem devo dizer que respeito sua opinião, por que você não sabe o que está falando. Poderia enumerar uma sequência de grandes gestores de resultados, mas vou citar apenas dois fundos… O Alaska Black, BDR nível I, também respeitada casa, Alaska Asset do Gestor Henrique Breeda, está com -12,25 no mês. No ano, -8,93%. É o próprio GTI DImona, -12,41% Maio e no ano -8,45%.
      E o Versa?
      Filtra o ranking anual de perfomance do comparador de fundos da InforMoney, para “variar” está novamente em 1 lugar em uma lista de 590 fundos, também de renomados gestores e claro, não sai dessa posição de jeito nenhum. Eu fico pensando, O que deve ter gestor de fundo almejando essa posição… não é brincadeira. Não precisa falar que os números do Versa nesses últimos 6 meses, mas vou escrever assim mesmo…
      5,87% e em 6 meses 18,01%. Isso fica próximo de 300% da Selic. 600% de um tesouro americano(Treasuries de 10 anos). Eu respeito muito o papel de um gestor, para mim é como um “juiz” do mercado financeiro. Os caras estudam demais para chegarem na posição que estão. Depois vem um Joãozinho aplica o dinheiro!por conta própria, e fica com preguiça de pesquisar os parâmetros do fundo. Veja se o Itaú ou Bradesco vai da alguma coisa. Nem acesso a esses relatórios divulgados aqui terá.
      Sucesso Luiz Alves e vamos que vamos

  7. Boa tarde Luiz, tudo bem?

    Tenho um perfil moderado, e estou planejando uma viagem para 1º trimestre de 2020.
    Nunca apliquei em um fundo de investimentos, sei dos riscos do Versa FIT, mas “necessito” ter o maior rendimento possível até a data do saque, farei aportes mensais ate o final de 2019 e minha primeira aplicação foi dia 07/06/2018.

    Sei que parece amador, mas fiquei impressionado com o rendimento do Versa e estou acreditando muito que o Versa FIT será bem semelhante (claro 50% a mais ou a menos).

    Esta é uma boa oportunidade para meu caso, ou você recomenda diversificar em outros tipos de investimentos? Se tiver poderia me recomendar algo?

    Me desculpe pelos questionamentos, mas como não tenho ninguém para me auxiliar, vou aprendendo com o que leio.

    Muito obrigado e sucesso a nós.

    Bruno

    • Bruno, sua política de investimentos está perfeita. Te aconselharia dividir os aportes mensais entre o Fit e um fundo de Renda-Fixa Pré-fixado (veja algum que teve prejuízo recentemente). Parabéns pelos estudos. Um abraço,

    • Bruno, boa noite! Apenas para complementar… como teu horizonte é menor que 2 anos e você vai precisar dessa reserva, sugiro que você deixe 80% de seus investimentos e/ou(aportes) em uma reserva segura, mesmo que com uma rentabilidade menor. E os outros 20% no FIT. Já seria um bom começo e você evitaria eventuais surpresas do mercado. Há CDBs, LC, LCI com garantias que pagam acima de 110% Do DI, já vi de 121%. Contam com FGC e no caso da LC e LCI não há incidência de IR. Não necessita de uma grande quantia para aplicar e consegue prazos menores que 2 anos. Abs sugestão ok?

  8. Luiz , você não me entendeu. Quinzenalmente o versa explica o cenário, as posições long short , onde ganhamos, onde perdemos e principalmente p onde estamos indo . Pra mim é importante esta informação p definir se aumentamos ou não posição no fundo. Uma explicação do fundo sobre o que está sendo feito. Entendo que o relatório é o canal ” oficial” de informação . Confesso que o relatório dá um ” norte” . Se é difícil divulgar um relatório semanal , muda pra mensal .

  9. Outra pergunta Luiz. Você vê a possibilidade de uma retomada da bolsa antes das eleições? Concordo que estamos em modo pânico e deve haver uma retomada, mas a proximidade das eleições deve deixar o mercado muito inseguro para uma retomada do crescimento agora, não acha?

  10. Luiz, pelo que entendi o fundo está com viés totalmente otimista no momento. Pensei em fazer uma put em algum ativo que tenha correlação com o Versa pra me proteger caso o cenário seja o oposto. Faz sentido? Se sim, qual ativo seria melhor, Bova11 ou outro?

    • Faz sentido. Bova11 é uma boa. Cuidado que as opções estão caras em função do aumento da volatilidade do mercado. Bacana teu estudo do fundo. Fez várias perguntas pertinentes até entender o produto. Parabéns. Um abraço

  11. Eu nao saio do Versa, mais negativo que fique, acredito na empresa e vamos vencer. Eu fico meio receoso com o otimismo, pois todos os dias vem gente buzinando que a grana vai virar pó, meu aporte no versa são pra 5, 7 ou 10 anos. Eu acredito na empresa versa e vamos fazer história… Já passei por um Joesly day, já comprei usim5 a 6 reias e vi chegar a 95 centavos, então o que resta agora é confiar e acreditar nos fundamentos, pois eu acredito na empresa versa, já tou levando uma pancada nesses meses, mas faz parte.

    Vamos aportar mais!!!

  12. Eu confio no fundo,
    Gosto do fundo
    Indico o fundo
    e acho o máximo a quantidade de informações e aprendizado que conseguimos aqui.

    Gostaria de aplicar bastante nessa época, mas estão me faltam os pilas para aplicar.

    Um abraço.

  13. Olá Luiz Alves,
    Venho investindo no Versa a praticamente 1 ano, infelizmente, as últimas perdas foram fortes e praticamente zeraram meus ganhos… Ainda assim, sigo vendo a situação atual como oportunidade do mercado…
    Meu medo somente é as perdas seguirem fortes nos próximos que antecedem as eleições… Há quem diga que em outubro haveria um crash do mercado brasileiro…
    Na opinião de vocês, há como o mercado recuperar credibilidade ainda esse ano e gerar um impulso positivo? Semelhante ao visto em 2017… Qual a chance de um crash? (Não vejo fundamentos pra isso mesmo com um presidente ruim…)
    Obg de antemão!

    • Oliveira, tudo bem? Também não acreditamos em um crash em função das eleições. O valuation das empresas está baixo, a economia está crescendo, as condições financeiras estão acomodativas (taxa de juros está baixa e bancos estão com o balanço limpo), por isso é difícil enxergar razões para um sell-off. Como você, não vemos razões nos fundamentos para uma crash mesmo que um presidente polêmico como o Ciro assuma. Por outro lado, se um candidato de centro-direita comprometido com as reformas como Alckmin ou Meirelles ganhar, a bolsa deve ter forte rally. Se Bolsonaro vencer e Paulo Guedes for escolhido ministro, também. Assim, as eleições parecem ter uma assimetria positiva. É normal acharem que a bolsa vai subir mais quando está nos highs, e vai cair mais quando está nos lows. A verdade é que ações com bons fundamentos em queda são uma oportunidade para comprar, e ações com maus fundamentos em alta ou em queda são oportunidades para vender. Isso que nos guia. Um abraço,

    • Não gosto da taxação dos investimentos como “aposta” pois fazemos um extenso trabalho de análise. Selecionamos empresas que têm ativos (imóveis, plantas, etc) e estudamos quanto valor estes ativos geram para os acionistas. Apostas tem resultados aleatórios. O resultado das empresas tem parte recorrente e outra parte aleatória. A parte aleatória subtrai valor do papel. Por isso procuramos empresas com maior parcela recorrente. Um abraço,

  14. Ok Luiz
    Compreendo seu argumento , tanto que postei ” aposta ” entre aspas .
    Mas sabemos que não controlamos a maioria dos eventos, o índice de incerteza é que introduz o aviso das corretoras sérias aos interessados , referência à garantia, certo?
    Ainda bem, isto possibilita fazermos escolhas, como investir no Versa, sabendo dos riscos .
    Continuarei “apostando ” no Versa.
    Evidente que explicações sobre tendências auxilia o aplicador planejar e decidir.
    Nos momentos de maior instabilidades isto é fundamental para o fundo manter seus investidores.
    Saudações

  15. Concordo com você Luiz. A hora de investir é agora tanto é que já aportei nesta semana no Versa. Sou cotista do Versa, Alaska e Adam todos, sem exceção, fundos de alto risco. Porém, são investimentos de longo prazo, ou seja, mínimo de 3 anos. Assim sendo, não dá para ficar olhando a cota diária. São fundos com vol alta o que significa possibilidade de maior rentabilidade a longo prazo.

    A perda é virtual. Ela se transformará em real se o investidor resgatar o investimento. Também é assim no caso do lucro… . Prefiro falar em variação negativa das cotas e não é eufemismo.

    Se o cotista acredita no gestor, é o meu caso, não cabe também ficar discutindo investimentos do fundo. Você paga taxa adm./performance para isso. Do contrário, iria montar sua própria carteira. Acho o espaço que nos é concedido pelo pessoal do Versa uma coisa fantástica e democrática. Sem paralelo na indústria diga-se de passagem. Quem mais se aproxima é o Henrique Bredda, gestor do Alaska, no seu Twitter.

    Escrevo isso porque leio as postagens e penso que não cabe ficar discutindo rentabilidade diária de um fundo com vol de 39%. Também não faz sentido ficar discutindo as posições pelos motivos expostos anteriormente. As explicações já foram dadas. Fico imaginando alguém questionando as posições do Adam e da SPX por exemplo. Márcio Appel e Rodrigo Xavier não iriam perder tempo explicando.

    Outro ponto é quanto a reabertura do fundo. Li criticas pesadas a respeito. Diria que é mais normal do que se pensa. O Garde fechou e reabriu. Idem idem para o Kapitalo Kappa ou seja, o gestor pode lançar mão deste expediente principalmente quando acontece uma diminuição drástica do PL.

    Repito: você investidor é soberano para escolher o gestor conforme a sua estratégia. Você precisa confiar e dar tempo ao tempo para a tese de investimentos dele se materializar. Isto posto, sigo confiante. Ainda bem que deixei algum $$$ em caixa. É momento de comprar uma cota desvalorizada e mirar o longo prazo.

    Abraços ao time do Versa e em especial a você Luiz Alves. Também estou acompanhando e lendo suas postagens no Twitter. Parabéns pelo excelente trabalho!

    Márcio Duarte

  16. Márcio, faço das Suas, minhas palavras.

    Já escrevi aqui algumas vezes que muita gente está fazendo trade com Fundos Multimercados.

    Hoje, com o excesso de informação, temos acesso aos preços das cotas/ações a todo momento (o que é TOP nas altas e “depressivo” nas baixas, diferentemente de um imóvel adquirido para INVESTIMENTO. Ninguém olharia o preço/valor todo dia.

    Aportar em Fundos para especular é o famoso “tiro no pé”. Que a Fibria nos brindou com um rsrs.

  17. Boa tarde Luiz,
    desde que o Versa fechou venho aplicando no FIT e aguardando uma eventual reabertura do Versa. Geralmente vocês enviam para os e-mails cadastrados as publicações e informações relevantes e por isso não entro no blog com frequência para buscar informações. Todavia, não recebi no e-mail nada sobre a reabertura. Por sorte vi no blog a informação. Talvez esse seja o caso de outros cotistas, e noticiar a reabertura por e-mail pode informar os desavisados.
    De qualquer forma não perderei a oportunidade fazer novos aportes no Versa e irei também resgatar do FIT e transferir para o Versa. Essa volatilidade não me incomoda, é dinheiro de longo prazo e entendo que as oscilações fazem parte do processo e, sobretudo, confio muito e admiro o trabalho de vocês.
    Fica aí a sugestão de envio da boa notícia para os e-mails cadastrados.
    abraço

  18. Por tudo isso que foi exposto aqui acho que o versa deveria ser direcionado para investidores qualificados. Quando fiz a aplicação achei que estava fazendo o dever de casa e avaliei os riscos, mas nunca iria imaginar que meu patrimônio estaria virando pó como agora, já estou muito no negativo. Nessa reabertura do fundo acho que deveriam deixar mais claros os riscos devido a sua alta alavancagem, coisa que não tive o cuidado de atentar na época. Enfim vi que o fundo não é pra mim e já fiz a solicitação do resgate, só espero que consiga recuperar alguma parte do que investi.

    • O início do ano foi muito forte e a queda agora está muito brusca. Com tudo isso, devolvemos a alta do ano, uma pena, faz parte de um fundo com esse nível de risco. Por isso é um produto de longo prazo e não deve ser acompanhado no dia dia. Obrigado pelo feedback anyway, vamos aumentar os alertas no site sobre os riscos de queda.Um abraço

  19. Luiz
    Entendo que precisamos ter calma, considerar uma conjuntura adversa quando olhamos um futuro que já começou .
    Significa pensar uma estratégia de longo prazo.
    Mas é natural os investidores temerem que no longo prazo não tenham mais nada do investimento feito.
    Entre palavras e números, os de junho que nem ainda terminou , gritam mais alto alimentando insegurança e nos impedindo de fechar os olhos .
    Uma orientação sua neste aspecto nos ajudaria.
    Nem todos nós investidores no Versa conhecemos os conceitos técnicos que formam a linguagem especializada.
    Ou seja, para não especialistas, que elementos, na gestão do fundo, podem sustentar um pouco o fundo para ter ainda alguma reserva quando a conjuntura apresentar outros indicadores de recuperação ?
    Como não sou especialista na área, apenas um poupador amador (mas que admite riscos) ,não sei se me fiz compreender.
    Saudações .

    • Fernando, compartilho da sua sensação e perfil. Mas, talvez para te tranquilizar, quero te passar as minhas sensações atuais. Sem muita técnica, acredito que a bolsa e o Versa estão em um momento parecido com 2016, bolsa barata e Versa, por conta do investimento barato, voando. Os resultados foram chegando cada vez mais ao longo dos últimos dois anos e não pode ser sorte. É muito tempo e muito resultado pra ser sorte. Eu estou bem, entrei em novembro, peguei os 40% de janeiro e ainda estou positivo, mas é claro que esse momento assusta. Acho que o problema é que pensamos em quanto ganhamos no dia, no mês, no ano e não em um período, sem essa exatidão toda. Os dois primeiros anos do Versa foram negativos e eu adoraria ter entrado lá pra pegar toda a alta seguinte. Na época ainda não conhecia o Versa, mas agora estou aqui. Vamos nessa.

      • Pra quem entrou antes e pegou janeiro e ganhos do ano passado, a situação fica até tranquila. Mas pra quem não pegou janeiro, ver quase 30% do investimento evaporar tão rápido é assustador rsrs. Meu receio é demorar muito a recuperação das cotas e quando começar valorizar não ter sobrado quase nada do investimento. Sorte de quem entrou final do ano e quem vai entrar agora.

  20. Obrigado Luiz e Victor.
    As referências de vocês ajudam.
    É isto. Compreendo que aqui não é um espaço terapêutico, mas a estrada não é linear, é cheia de altos e baixos e curvas perigosas , assim precisamos de sinalizações.
    Um abraço.

  21. Fernando e Víctor, Estamos juntos! Também gostaria de ter entrado agora, entrei em Outubro do ano passado e ainda estou bem! Mesmo que zere minha posição, não saio. Vou seguir firme na minha estratégia. Assumir perdas agora, nao vai melhorar em nada. Esse fundo se não me engano já deu -de 40% e também + de 80% no mês, claro que esse é um viés que não me apego. Não acho que repita, mas quero ver como fechamos o ano. Se na soma der 6,51% já estou no lucro rs se não der, paciência. Vai ficar por longo tempo. ABS

  22. Bom dia Luiz Alves, tudo bem?!
    Entendo as estratégias do Versa e que pela alavancagem a performance recente da cota esteja sendo negativamente potencializada. Entretanto, considerando o fato de que o impacto do drawdown exige um progressivo maior upside para recuperação, onde por exemplo, uma queda de 30% exige uma alta de 43% e uma queda de 50% exige 100%, não seria possível ampliar o uso de produtos protetores da carteira (compra de put, p.ex) ou rebalancear pontualmente as posições long e short? Posso estar falando o óbvio e com atraso, mas imagino que mesmo num produto de longo prazo, essas possíveis ferramentas/estratégias para amenizar quedas no curto prazo, mesmo tendo um custo de caixa e limitando uma fração das altas, possam contribuir para uma melhor performance lá na frente. Além disso, back test é uma coisa e realidade é outra. Imagino que por conta disso, se não tivéssemos grandes quedas, mesmo com altas ligeiramente menores, a rentabilidade do Versa seria ainda maior. Um abraço!

    • Prezado Iveraldo, tudo bem? Seria ótimo ter feito isso com a bolsa a 85k pontos, mas achávamos que a chance dela subir para 100k era maior do que cair para 70k. Hoje parece tarde para isso. A principal perda do Versa, entretanto, é na carteira de valor relativo (Long & short) tendo em vista que alguns papéis subiram (!!) enquanto outros caíram mais que a bolsa. Temos mantido conversas constantes com as empresas e não vemos motivos para desinvestir, pelo contrário. Algumas ações da carteira Long como Iochpe que tem 70% dos resultados em dólar e Usiminas que vendem aço que é dolarizado caíram como se fossem empresas do mercado interno. Esperamos que as desarbitragens voltem, mas não sabemos precisar quando.

    • Boa pergunta Fernando. O limite de perda, ou stop-loss, é uma política de transformar perdas temporárias em perdas permanentes. Somos contra. Nosso stop-loss é por fundamento, ou seja, quando as razões para investir numa empresa não se confirmam
      , ou mudam, saímos dela, independente de estarmos no lucro ou prejuízo. Também temos limites de alavancagem que nos obrigam a reduzir a carteira em momentos de stress, como agora. Vendemos diversas posições compradas e recompramos diversas vendidas à descoberto, mas sem stopar o fundo. Um abraço,

    • Thiago, tudo bem? Nao temos nenhuma posição diretamente impactada pela taxa Selic. Por outro lado, a alta da Selic poderia atrapalhar a frágil recuperação da economia. Ainda, temos empresas alavancadas com a dívida atrelada a Selic. Por isso, indiretamente a manutenção da Selic em 6,5% é o melhor cenário para o fundo. Um abraço,

  23. Aprendi uma coisa: quando o Investidor NÃO precisa do dinheiro INVESTIDO em renda variável, quando a bolsa sobe é bom, quando ela cai é melhor ainda.

    Difícil mesmo é não seguir a “manada”, de comprar na alta e vender na baixa. É só observar a captação do Versa Pai com a cota lá no alto (comparando-se com o valor de hoje) e o ritmo de captação com o valor da cota “descontado”.

    Investimento em ações é muito diferente da renda fixa: o primeiro se investe em valor, o segundo em rentabilidade.

    As crises são “boas” para se comprar empresas de valor com preços descontados.

    Em suma, até para atravessar as crises o Investidor deve ser Paciente.

    Se não, dinheiro de trouxa é matula de malandro. No linguajar do mercado: “dinheiro de sardinha é aperitivo de tubarão!”.

  24. Olá Marcus, Olá Luis! Depois dos -43,50% de 2016, ficou alguma lição para a equipe para minimizar as chances disso acontecer novamente? E a alta? Será que foi um fato atípico ou tem grandes chances de se repetir pela consistência da estratégia? Obrigado, saudações, Ricardo

  25. Boa noite Luiz e Marcus.

    Gostaria de tentar entender o que aconteceu em março de 2016 para o fundo ter uma rentabilidade de 81%.
    Houve algum acontecimento em especifico para o fundo ter um resultado tão extraordinário?

    Desde já agradeço a atenção.

  26. Boa noite Luiz e Marcus.

    Gostaria de entender um pouco melhor o porquê do fundo ter conseguido um resultado tão expressivo em março de 2016 com 81%.

    Teve algum acontecimento específico que explique tal resultado?

    Desde já agradeço!

    • Boa tarde Bernardo. Março de 2016 foi o pull back da queda de 40% em Janeiro. Na época o fundo possuía posições maiores e mais concentradas. Atualmente a estratégia está desenhada de forma a evitar perdas de 40% em um mês e, da mesma forma, ganhos de 80% em outros. Um abraço,

  27. Luiz, Marcus e equipe, quero parabenizar a transparência e carinho de vocês com os cotistas. Vocês não sabem o quanto é valioso ter vocês por perto. E mais: um fundo desse porte, aberto para o público geral, é de muita generosidade. Vocês poderiam estar sossegados com um público mais selecionado, mas abriram mão disso para beneficiar a todos nós. Por isso me orgulho de fazer parte disso e tenho plena confiança de que sempre farão o melhor. Parabéns e sucesso a todos nós.

    • Vag, é exatamente isso!!!! Também agradeço aos gestores por me permitir ser parte disso. Realmente é uma oportunidade raríssima para que um pobre mortal como eu, que não é classificado como investidor qualificado, tem para aplicar em um fundo dessa magnitude, cuja volatilidade o credenciaria a não aceitar “amadores” como cotistas. O que pouparia muita dor de cabeça aos gestores. Também me sinto um privilegiado de fazer parte desse grupo, do qual não pretendo sair enquanto ele durar.
      Quanto às quedas recentes das cotas meu único desconforto é não ter tido mais dinheiro disponível para aproveitar essa oportunidade, pois sei o quanto ela é valiosa e que vai me custar caro no futuro.. Já transferi do FIT e pedi resgates de outros fundos para aportar no Versa, só espero que de tempo antes que ele feche novamente. Com Alckmin se credenciando para ir paro o segundo turno, trazendo bom humor para a bolsa, pode ocorrer uma nova onda de aporte no fundo.

  28. Confesso que entrei em pânico com a queda da bolsa em junho e acabei zerando minha cota. Ainda bem que o fundo ainda está aberto e pude refazer o investimento. Pelo menos serviu pra mim de um grande aprendizado. Parabéns à equipe pela competência.

  29. Luiz, Marcus e equipe,

    Parabéns pela retomada, com certeza fruto de inteligência emocional e expertise de vcs!
    Por isso invisto aqui e não diretamente, assim posso focar meu dia a dia na minha profissão que já me toma todo o tempo…

    Mantive minha posição nos meses anteriores e aportei mais um pouco no ápice da queda (pena que não tripliquei a aposta rsrs).

    Mesmo a bolsa batendo os 80 mil pontos novamente, vocês acreditam que ainda haja espaço para a bolsa seguir crescendo neste ano, independente de Bolsonaro ou Alkimin… Entendo que ambos seriam reformistas…

    Vale a pena aguardar alguma eventual correção antes de novos aportes mais significativos? Ou agora é a hora apostando nas eleições favoráveis ao mercado?

    Abraço,
    Vinícius.

    • Bom dia Valter,

      Nosso objetivo é não abrirmos mais o fundo Versa, porém o senhor pode buscar a mesma estratégia com metade do risco através do fundo Versa FIT.

      Cabe ressaltar que o Versa FIT é um fundo muito arriscado, com grande volatilidade em busca de elevados retornos. É comparável aos fundos mais arriscados do mercado e possui tributação de Renda Variável.

      O senhor pode obter mais detalhes no site.

      Atenciosamente,
      Marcus Vinicius