Em meio a guerra comercial entre EUA e China, você conhece os tipos de restrição no fluxo comercial?

0
463

As barreiras comerciais são políticas do governo para limitar o livre comercio com outros países. Exemplos de barreiras comerciais: tarifas, cotas, subsídios, restrições à exportação, etc. Cada uma dessas políticas comerciais beneficiam e prejudicam grupos específicos.

As tarifas de importação são impostos em bens importados. Os principais beneficiados dessa medida são o governo (que arrecada) e os produtores locais (que enfrentarão uma competição artificialmente menor). Os principais prejudicados são os consumidores, que terão que pagar um preço mais alto e consumir menos, e os produtores estrangeiros que perderão mercado. O fato dos produtores locais serem um grupo mais organizado do que os consumidores para pressionar o governo, junto à necessidade de arrecadação do setor público, explicam a popularidade dessa medida ao redor do mundo.

As cotas limitam a quantidade importada de um certo produto. O resultado das cotas é similar ao das tarifas, exceto pelo fato que o governo não recebe o valor da tarifa e esse benefício é capturado indiretamente pelo produtor estrangeiro via aumento de preço.

Os subsídios são transferências do governo para as empresas domésticas para cada unidade de um certo bem vendido. Os subsídios podem ser para incentivar a exportação ou para incentivar a produção de um bem que atualmente é importado.

No caso de subsídios para a exportação, as empresas exportadoras se beneficiam em detrimento do governo e dos consumidores que enfrentarão um preço doméstico mais alto.

Já no caso do subsídio para bens atualmente importados, a produção domestica cresce artificialmente e o bem-estar agregado pode ser reduzido por distorcer artificialmente e muitas vezes temporariamente a estrutura comercial e produtiva do país.

A discussão entre o livre comércio e o protecionismo é acirrada. Os defensores do livre comercio argumentam que o bem-estar agregado é maior sem as barreiras. O outro lado diz que as barreiras podem incentivar setores estratégicos que favoreceriam a nação no longo prazo.

Na Versa Asset acreditamos que o livre comércio é a melhor estratégia, pois maximiza o bem-estar agregado, define setores estratégicos de acordo com vantagem comparativa e evita falhas de governo que podem aparecer no processo de definição da política comercial.