Olhar a cota todo dia?

Enquanto um investimento em renda-fixa se valoriza todo dia um pouquinho, a bolsa é uma montanha-russa. O retorno de um dia pode ser maior que a renda-fixa de um ano, para cima ou para baixo. A natureza nos projetou avessos à perdas financeiras, por isso a renda-fixa é popular. Ninguém está preparado para ver os recursos caírem mais de 5% em um dia, como aconteceu 9 vezes com o Versa nos últimos 2 anos. As quedas não afetaram o resultado de longo prazo, mas causaram desconforto. Vale a pena, então, olhar a cota do Versa todos os dias?

29
254

Avessos à risco ou avessos à perdas?

Na Teoria do Prospecto, Kahneman e Tversky (1979) demonstraram que a maioria das pessoas tem desprazer maior com uma perda financeira do que satisfação com um ganho equivalente. Entre receber R$ 5.000 ou arriscar perdê-los para ganhar R$ 10.000 em um cara-ou-coroa, a maioria fica com R$ 5.000 e evita a possibilidade de perder R$ 5.000 mesmo tendo chance igual de ganhar o dobro. Entre perder R$ 5.000 com certeza ou arriscar perder R$ 10.000 ou zero em um cara-ou-coroa, a maioria fica com o jogo, ou seja, com a possibilidade de não perder nada. Se os seres humanos fossem racionais como a Teoria da Utilidade prevê, seriam indiferentes entre ganhar/perder R$ 5.000 ou jogar o cara-ou-coroa, já que ambos têm o mesmo valor esperado (R$ 10.000 * 50% de probabilidade + R$ 0 * 50% = R$ 5.000). Na vida real a decisão das pessoas é guiada pela frustração com as perdas, que se sobrepõe à felicidade com os ganhos do mesmo valor. Além de avesso a risco, o ser humano é avesso à perdas.

A frequência dos retornos negativos

Chama-se risco de mercado a dispersão de retornos dos investimentos. O risco da renda-fixa, que sobe todo dia um mesmo pouquinho, é ~zero. Já a bolsa tem risco alto, e variável. Nos momentos de calmaria as oscilações são pequenas, e nos momentos de nervosismo são grandes. Quanto maior o risco, maior a alternância entre retornos positivos e negativos. O mesmo vale para a frequência com que se olha os retornos.

O Ibovespa, por exemplo, subiu expressivos 60% nos últimos 2 anos (495 dias / 24 meses). Nesse período os dias positivos foram pouco mais da metade (56%) dos dias, e o retorno médio foi o mesmo que dos dias de queda (~0,94%). Já os retornos mensais positivos são 2,5 vezes mais frequentes que os negativos (71% vs 29%), com oscilações também parecidas. Como se vê, quem acompanhou a bolsa diariamente viu menos dias positivos para cada dia negativo do que os que acompanharam mensalmente. A estatística prevê este resultado. Quanto maior a frequência que se olha a variação da bolsa, mais próximo de 50% é a chance do resultado ser positivo (ou negativo).

Retornos Ibov:  Diários Mensais
Amostra 495 24
No de Altas 278 17
% Altas 56% 71%
Retorno Médio Positivo +0,93% +4,61%
No de Quedas 217 7
% Quedas 44% 29%
Retorno Médio Negativo -0,95% -3,91%

 

Como o Versa tem volatilidade de ação, este resultado também vale para o fundo. Replicamos a análise a partir de 3 de novembro de 2014, dia que o fundo virou o Versa. De lá para cá o retorno acumulado é 836%. Ainda assim os retornos foram positivos em apenas 53% dos dias, com magnitude parecida com os retornos negativos.

Retornos Versa:  Diários Mensais
Amostra 872 41
No de Altas 466 28
% Altas 53% 68%
Retorno Médio Positivo +2,32% +16,06%
No de Quedas 406 13
% Quedas 47% 32%
Retorno Médio Negativo -2,01% -12,65%

(estatísticas disponíveis na Lâmina)

Olhar a cota diariamente?

Ao juntar o resultado estatístico com a Teoria do Prospecto encontra-se a razão para não olhar a cota do Versa todos os dias. A estatística diz que os retornos diários positivos do Versa acontecem com quase a mesma frequência que os negativos, e têm magnitude parecida. A Teoria do Prospecto diz que as perdas financeiras trazem um desprazer maior do que a alegria dos ganhos equivalentes. Assim, acompanhar a cota do fundo diariamente é oscilar entre perdas e ganhos que geram emoções ruins e boas que não as compensam. Por outro lado, quem acompanhou a cota do Versa mensalmente teve mais que o dobro de notícias positivas em relação às negativas. Olhar com baixa frequência o resultado de investimentos arriscados diminui a probabilidade de se deparar com resultados negativos, desde que os retornos médios sejam positivos no longo prazo. Mesmo com a forte alta dos últimos anos, olhar a cota do Versa diariamente pode ter causado mal-humor.

29 COMMENTS

  1. Eu estou tentando evitar olhar a variação diária da cota pois já me surpreendi muito tanto no lado positivo quanto negativo, às vezes vc pensa q o dia foi bom e vem uma paulada pra baixo ou naquele dia que vc já espera ver uma baita queda a cota sobe. Mas essa consolidação do ibovespa está dando nos nervos, será que sairemos dela antes das eleições?

    • Boa conclusão Paulo! A economia está patinando neste início de ano, por isso a bolsa não sai do lugar. Os índices de confiança caíram um pouco também. Vamos ver se a apatia permaneceu em Abril ou o país voltou a crescer. A bolsa deve reagir, para um lado ou o outro. Um abraço,

  2. Equipe Versa, muito bom o post, mas acredito que a expectativa não foi atingida nestes dois últimos meses, ninguém aqui pode esquecer o velho jargão dos fundos de investimentos, que o ganho passado não significa ganho futuro, entanto, devido a capacidade de ótimos ganhos já apresentados, a dúvida é, será que não faltou iniciativa da equipe? Não vejo o mercado um desastre, será que a estratégia num funciona mais? O Fit atrapalhou? Este post me pareceu mais um pedido de desculpas. Continuo fã de vocês.

    • Bom dia Silva. Não foi um pedido de desculpas porque não tem nada errado com o desempenho do Versa dos últimos 2 meses, e as estatísticas do artigo mostram isso! Um abraço,

    • Este post não me pareceu um pedido de desculpas. Pareceu uma explicação razoável que os gestores não tem porque ficar justificando cada subida e descida diária do Versa. Pensando em gestão, a estratégia não pode ser rígida demais que demore a reagir em caso de mudanças estruturais, nem flexível demais que a cada susto necessite ser repensada (o que na verdade, só demonstra que era uma estratégia ruim). E o Versa me parece ter uma estratégia consistente. Vejo que o Versa tem instrumentos de gestão que são a divulgação de resultados quinzenal e mensal e uma média de 4 posts por mês em que os investidores podem questionar e eventualmente dar sugestões e contribuir para a correção de rumos.
      No mais, parabéns à equipe do Versa.

      PS: Excelente foto do Luiz Alves neste post.

  3. Bacana o artigo Luiz, gostei de ter acesso às estatísticas do Versa e IBOV. Porém, trago um outro ponto de vista. Faço parte da turma que acompanha todos os dias o Versa. Inclusive tenho uma planilha onde insiro diariamente os ganhos/perdas e calculo os rendimentos. Pra mim existem dois pontos positivos nisso. Primeiro, posso acompanhar o comportamento do fundo – e portanto do meu investimento – o que, pelo menos pra mim, facilita decidir se devo continuar ou sair fora. Imagino que todo mundo deve(ria) ter um limite de perdas que, se ultrapassado, acenda o sinal amarelo. Segundo, porque percebi que com o tempo (e teu texto complementa isso muito bem) as perdas começam a “doer menos”. Vamos ficando mais “frios”, na verdade, um pouco mais “racionais” porque passamos a entender melhor o comportamento do mercado. Afinal, se a aplicação é em renda variável ela irá variar! Mas certamente só faz sentido fazer isso se você tiver vontade/tempo/coração e, mais importante, entender que o importante é ver a tendência e não o sobe-desce.

    Minha leitura muito simplista sobre o que está acontecendo nesses meses é que a compra da Fibria pela Suzano nos pegou de surpresa (péssimo acordo para Fibria). Se não fosse isso, o Versa continuaria bem mais descolado da IBOV. Ao mesmo tempo muita gente talvez não tenha ainda entendido direito porque o Versa não vendeu FIBR3 e comprou Suzano. Talvez não esteja claro para eles a estratégia de ficar em FIBR3 e vender Suzano a descoberto que você explicou em outro artigo.
    Abraços
    Marcão

    • Marcão, como você disse, “o importante é ver a tendência e não o sobe-desce”. Fico contente em saber que você entendeu perfeitamente a volatilidade do fundo. Sobre o resultado, a Fibria atrapalhou, mas outras posições atrapalharam mais. Em breve divulgaremos o relatório mensal. Um abraço!

  4. Parabéns Luiz Alves pelo excelente artigo e exposição de ponto de vista de análise.
    Analiso gráficos, trading system, setups, etc sempre até então, pelo percentual e número de trades positivos e negativos. É sempre na média de 50% para cada lado…Nunca tinha olhado o mercado do ponto de vista quantitativo percentual de fechamento diário/mensal. Seu artigo foi muito bom, simples e muito importante. Uma luz para mim.
    Atualmente estou fazendo trades usando gráficos de 2 semanas e mensal, meus resultados melhoraram significativamente. Agora tudo ficou claro por que estou bons resultados com gráficos de 2 semanas e mensal. E claro, estou muito mais confiante a longo prazo com minha posição no fundo Versa.

    • Perfeito Nei! Essa é razão pela qual não fazemos day-trade. Estatisticamente, quanto menor o horizonte de tempo, mais difícil encontrar a tendência (comprovar que os retornos médios são maiores do que zero). Com horizontes de tempo maiores, a tendência aparece. Grande abraço,

  5. É por isso que um investidor deve saber qual o seu perfil de risco e preencher com sinceridade a ficha de Suitability, tem gente que só que ganhar, mas não suporta perdas e na renda variável é assim: sobe, desce ou fica de lado. Por isso que às vezes alguns fundos são somente para investidor qualificado ou tem o aporte inicial alto, para tentar filtrar os ” supra sumo master” de sorte que o aporte inicial do Versa era razoavelmente baixo, assim muitos tiveram a oportunidade de entrar. Entrei quando o Versa tinha somente uns 30 quotista e hoje são milhares, devido a boa performance do Versa. Nos mais, parabéns Luiz Alves a você e sua equipe. Abraços

    • Exatamente. Decidimos não fazer o “filtro” que você mencinou. Em compensação abrimos este canal para esclarecer os principais pontos e tirar dúvidas sobre o fundo e investimentos. Legal saber que você entrou quando o Versa tinha apenas 30 cotistas. Teve visão, coragem, e se deu bem. Parabéns! Um abraço,

  6. Excelente publicação! Agora que completei meu primeiro ano no mercado de investimento! Sigo aprendendo muito, principalmente após virar cotista do versa. A inteligência em suportar os dias de baixa só fui aprender por aqui. Vamos em frente e obrigado ao versa pelas lições que tem dado a nós, investidores iniciantes!

  7. Excelente texto!

    Acredito tb que a falta do conhecimento levam as pessoas a serem mais cautelosas, principalmente qnd falamos em dinheiro. Eu, por exemplo, qnd comecei a investir há pouco mais de 2 anos, tinha um perfil mais conservador – moderado, optando por fundos mais conservadores. Porém, fui me interessando e estudando mais sobre e hoje posso dizer que o meu perfil é moderado – agressivo, justamente pq eu entendi que eu prefiro o risco de poder ganhar mais do que a segurança de ganhar menos. Para ilustrar melhor, o fundo Versa levou apenas 2 meses para passar em rentabilidade um fundo de renda fixa que tenho há 20 meses.

    Sobre olhar a cota todo dia, eu gosto de olhar pelo menos toda semana, para poder entender a relação dos fundos da minha carteira com o cenário brasileiro e exterior.

  8. Considero excelente o retorno que procuram dar a nós investidores , continuo confiando na Gestão do fundo apesar de um ano difícil de eleições.

  9. Estou no Versa à quase um ano… entendo bem o que o Luiz comentou no Post e tem razão. Observo bastante o retorno mensal e faço um breve comparativo com outros fundos e o Ibovespa.

    Acredito e gosto muito da Gestão do Luiz. Parabens pelo trabalho e vamos seguir juntos nesse barco !!
    Abraços

    • Boa tarde! Não temos Magazine Luiza. Temos Via Varejo e estamos otimistas com os processos que eles estão implementando, que aproximará a operação deles da Magazine Luiza com a redução dos prazo de entrega, retirada nas lojas, etc. Um abraço,

  10. Ótimo post!
    Tenho investimento em 3 fundos de ações e olho no máximo uma vez por semana.
    A volatilidade faz parte de um bom resultado no final.
    Quem quer baixa volatilidade tem que migrar para a renda fixa, não tem jeito.

  11. Excelente post! Indo um pouco na contramão, resolvi olhar o valor da cota hoje e me assustei com a queda de ontem, de 4.4% em um dia.

    Esse tipo de resultado é dentro do esperado para os limites de risco do fundo? Existe uma volatilidade máxima cálculada que seja permitida, através de stops, etc?

    Compreendo que o fundo seja volátil e ofereça resultados de acordo com o risco, ainda assim ficaria mais tranquilo se compreender o que tem ocorrido esse mês.

Deixe uma resposta