Resultado Mensal: Versa -3,0%, Fit -1,6%, CDI +0,5%, Ibov +3,6% (Set/19)

0
4164

Caros amigos,

Setembro foi o primeiro mês com as mudanças na carteira short dos fundos long-biased que explicamos em agosto, e do redobrado compromisso da Versa com os clientes.

A mudança no long & short do Versa e do Fit trouxe dois benefícios imediatos: o aumento da liquidez da carteira vendida à descoberto e maior aderência entre os resultados dos fundos e do Charger. A explicação desta relação entre os fundos merece um artigo à parte, mas dá para notar que o Versa se tornou o alfa (outperformance em relação ao índice Bovespa) do Charger alavancado. Desde a mudança o Versa se tornou a carteira comprada do Charger 2,4x alavancada e uma carteira vendida à descoberto de 65% do patrimônio, sobrando uma posição líquida comprada de 175% do PL. Essa posição, porém, não é uma compra à termo. Ela está protegida por opções de venda (puts) de índice Bovespa de forma que a exposição do Versa converge para 100% se a bolsa cair. Olhando de outra forma o Versa continua sendo um long & short grande com no máximo 100% comprado. Porem, quando estamos otimistas com a bolsa (como agora), “soltamos” a parte do hedge correspondente ao índice futuro, aumentando a posição comprada. O resultado final é uma exposição bruta constante e uma exposição líquida maior ou menor dependendo do cenário. Antes, quando aumentávamos a exposição líquida, também crescia a bruta e o fundo ficava mais arriscado. Com a posição atual, se a bolsa subir e o Charger gerar alfa, o Versa/Fit terão desempenho fenomenal. Se a bolsa cair e o Charger gerar alfa, ou a bolsa subir e o Charger perder alfa (como em setembro), o Versa/Fit terão resultados positivos ou negativos menos voláteis que no passado. Por último, se a bolsa cair e o Charger perder alfa, o Versa/Fit terão desempenhos ruins. Os fundos passaram a depender mais da geração de valor dos longs onde, historicamente, temos resultados melhores.

Tão importante quanto as mudanças na carteira foi a ampliação do compromisso da Gestora com a transparência máxima com os clientes. A Versa surgiu com o diferencial de explicar para os investidores o que fazemos por aqui. O hotsite dos nossos fundos trazem mais informações que qualquer concorrente e nossas cartas de resultado esmiúçam a posição como poucos, mas faltava explicar o racional por trás dos nossos investimentos. Gravamos um vídeo explicando nossa filosofia de investimento, mas faltava mostrá-la sendo aplicada. Por isso, desde meados de agosto, estabelecemos uma grade de publicações onde cobrimos todos os aspectos da gestão. Começamos a semana com o Semanal onde os cotistas podem acompanhar os drivers da economia que afetam nossa decisão de alocação, ou seja, ficar mais comprado em bolsa, em câmbio, aplicado na renda-fixa ou fazer hedges. As terças publicamos um vídeo temático no nosso canal onde explicamos, de forma descontraída, diversos aspectos da nossa gestão, como as razões pelas quais não fazemos day-trade, porque não alavancamos a termo, a forma que gostamos de operar na bolsa e aspectos do mercado financeiro como um todo, como os vídeos sobre IPO, Follow-on, como saber se o seu fundo é barato, entre outros. Às quartas soltamos a aula do Jairão, um artigo mais técnico para os interessados em aprofundar o conhecimento sobre o mercado. Inspirado nos estudos para o CFA, Jairo escreve sobre análise de balanços, de fluxo de caixa, teoria de jogos e elementos importantes da economia. Por último estabelecemos o compromisso de toda quinta-feira detalhar um investimento da Versa, comprado ou vendido a descoberto. Mais do que um feedback para os nossos cotistas, os artigos de quinta têm o objetivo de revisitar os investimentos e reavaliar as razões pelas quais continuamos acionistas. Neles traçamos e acompanhamos os vetores de geração/destruição de valor que motivaram as posições e, com a disciplina de colocá-los em um artigo, ficamos presos à racionalidade dos investimentos e mitigamos o risco de decisões emocionais. Com esse trabalho esperamos fortalecer nossos investimentos e nossa relação com os investidores. Se você ainda não está no mailing se inscreva no rodapé da nossa página principal. Recomendo!

Um abraço e bons investimentos!

Luiz

Resultados Fundos

30-ago-19 30-set-19 Variação
Versa 6,43  6,23 -3,05%
Fit 0,95 0,93 -1,61%
Tracker 1,20 1,20 -0,13%
Charger 1,23 1,24 +0,59%
CDI aa 5,9% 5,4% 0,46%
Ibovespa 101.135 104.745 +3,57%

 

Conforme escrevemos nas cartas inspiradas pelos nossos comitês semanais de setembro (aqui, aqui, aqui e aqui), o mês trouxe: (1) revisões baixistas nas expectativas de mercado para inflação no Brasil nos próximos anos; (2) queda nos juros por bancos centrais nos EUA e no Brasil; (3) continuação do crescimento do crédito privado em detrimento do crédito público na economia brasileira; (3) melhoria lenta e contínua no mercado de trabalho brasileiro; (4) nos EUA, dados decepcionantes para a indústria, e mais recentemente para o setor de serviços; (5) expectativas de um retorno de conversas produtivas entre EUA e China, mirando uma resolução para a guerra comercial. No Brasil, segue o cenário que sustenta nossa posição comprada em ativos domésticos, de recuperação lenta a despeito de diversos desafios externos (crescimento, guerra comercial). A bolsa brasileira reagiu positivamente, com alta de +3,6% no índice Bovespa no mês. Os fundos multimercados da casa (Versa, Versa Fit, Versa Tracker) não acompanharam o desempenho positivo do índice, pressionados pela geração negativa de alfa das ações compradas. Nosso fundo long-only (Versa Charger) teve alta de +0,6% no mês. Detalhes abaixo.

Livro Posição Versa P&L Versa Posição Fit  P&L
Fit
Long 242,5% -0,64% 121,7% -0,40%
Short -151,9% -4,58% -77,5% -2,30%
Opç Bolsa 86,1% +2,56% 41,8% +1,27%
Opç Dol -58,3% -0,89% -32,1% -0,52%
CDI 0,5% 0,5%
Taxas 0,1% -0,1%
Resultado -3,05% -1,61%

Destaques Positivos

Δ Ação Versa Fit
BRPR3 +7,18% +1,91% +0,92%
HGTX3 +4,74% +1,03% +0,50%
VALE3 +4,78% +0,94% +0,49%
PETR4 +8,04% +0,74% +0,37%
VVAR3 +2,46% +0,58% +0,30%

maiores ganhos em setembro

Três dos cinco principais destaques positivos do mês vieram de empresas ligadas à recuperação da economia doméstica com o cenário benigno para inflação e queda de juros. As ações da BR Properties subiram +7,2% no mês. A BR Properties atua no setor de lajes corporativas, negócio que ganha valor com a queda do custo de capital no país. Mais detalhes sobre BR Properties no nosso artigo do início de setembro: Imóvel vago, oportunidade ou desespero? O mesmo vale para empresas do varejo, que se beneficiam de um cenário favorável para consumo com o crescimento do crédito e menores taxas de juros no país: Hering subiu +4,7% e Via-Varejo subiu +2,5%.

Os outros dois destaques positivos do mês foram empresas de commodities. As ações da Vale valorizaram +4,8% após atingirem no mês de agosto o valor mais baixo desde a tragédia de Brumadinho. A Vale é uma posição de grande convicção, inspirada pelo valuation extremamente descontado das ações frente o potencial gerador de caixa da Cia no cenário atual de preços de minério de ferro e câmbio desvalorizado (dólar alto). A segunda empresa de commodities com contribuição positiva em setembro foi a Petrobras. Suas ações avançaram +8,0% no mês, reagindo a: (1) dados fortes e surpreendentes de produção de petróleo e gás pela empresa em agosto; e (2) aos preços internacionais de petróleo, que tiveram alta súbita após um ataque em uma das maiores unidades de produção do mundo na Arabia Saudita no dia 14 de setembro.

Destaques Negativos

Δ Ação Versa Fit
TRIS3 -11,56% -2,45% -1,23%
BOVA11 +3,48% -2,13% -1,04%
LCAM3 -7,90% -1,78% -0,94%
EVEN3 -7,24% -0,86% -0,46%
WEGE3 +7,69% -0,69% -0,36%

maiores perdas em setembro

Dos destaques negativos, três foram empresas que vinham de longos períodos de apreciação: Trisul (-11,6%), Unidas (-7,9%) e Even (-7,2%). As ações da Trisul convergiram para o preço da oferta primária em que a empresa levantou R$384 milhões para financiar compras de terrenos para futuros lançamentos residenciais. Mais detalhes sobre nosso investimento na Trisul aqui. As ações da Unidas sofreram com notícias que montadoras de carros estão entrando no segmento de locação de veículos. As ações da Even oscilaram sem grandes notícias para o setor/empresa. O último destaque fica para as ações da Weg, empresa sobre qual escrevemos recentemente. As ações da Weg reagiram ao ambiente de afrouxamento monetário internacional e à desvalorização do real frente ao dólar, ambos positivos para a empresa. Com isso, as ações que já eram super-valorizadas ficaram mais caras, sustentando nossa posição vendida a descoberto.

Disclaimer: As opiniões, análises e informações contidas nesse artigo não constituem recomendação de investimento, nem tampouco material de oferta para subscrição, compra ou venda de títulos ou valores mobiliários, instrumentos financeiros, cotas em fundos de investimento ou qualquer produto ou serviço de investimentos. Declarações contidas neste artigo relativas às perspectivas dos negócios, projeções de resultados operacionais e financeiros, bem como referências ao potencial de crescimento das companhias citadas, constituem meras previsões, baseadas nas expectativas do analista responsável em relação ao futuro. Essas expectativas são altamente dependentes de fatores incertos, como o comportamento do mercado, da situação econômica do Brasil, da indústria e dos mercados internacionais. Portanto, cada declaração aqui escrita está sujeita a mudanças, e não deve ser utilizada como insumo para qualquer estratégia de investimento pessoal ou institucional. A Versa Gestora de Recursos Ltda., seus sócios e colaboradores, por meio dos fundos de investimentos da casa, podem ou não estarem posicionados em títulos e valores mobiliários de emissores aqui mencionados, de forma que eventualmente influencie nas opiniões e análises aqui presentes.