Resultado Quinzenal: Versa +3,7%, CDI +0,3%, Ibov -0,5% (Mar-18)

13
1670

Resumo da Quinzena

A primeira quinzena de Março teve pequenas oscilações. Enquanto o S&P subiu 1,2% o Ibovespa caiu -0,5%. A economia americana continuou a produzir dados positivos de emprego e confiança. A inflação, que preocupa os mercados, se mostrou comportada em fevereiro. Trump anunciou a tarifação das importações de aço o que afetou as ações de siderurgia brasileiras, pois somos o segundo maior exportador para os EUA. No Brasil, a inflação surpreendeu novamente para baixo fazendo o mercado a precificar novo corte de 0,25% na SELIC na próxima reunião do COPOM. O Versa teve bom desempenho na quinzena.

28-fev-18 15-mar-18 Variação
Versa 7,276 7,545 3,7%
CDI aa 6,6% 6,6% 0,3%
Ibovespa 85.354 84.928 -0,5%

 

Neste início de Março a carteira de ações compradas (long) subiu 1,8% gerando ganho de 3,6% para o fundo, enquanto a carteira vendida à descoberto (shorts) caiu -0,9% resultado em ganho de 1,1% para o fundo. As pequenas oscilações das carteiras geraram ganhos maiores em função da alavancagem. A posição comprada é quase duas vezes o patrimônio do fundo, enquanto a vendida a descoberto é 20% maior que este. Como as posições estão em direção contrária, uma protege a outra. Ainda assim, o long & short é a maior fonte de risco do Versa. A exposição líquida do fundo (long+short+delta das opções) foi 107% enquanto a posição caixa (long+short +prêmio das opções) foi 78% na média do mês. Descontamos o custo de oportunidade do fundo, o CDI, do resultado de todas as posições compradas, e creditamos para as vendidas a descoberto. Por isso ao final do resultado creditamos o CDI da posição líquida caixa, que disponibilizamos diariamente na página sobre a Estratégia do fundo.

Livro Posição Líquida Lucro (Prejuízo)
Long 194% 3,6%
Short -120% 1,1%
Opções 33% -0,4%
CDI 78% 0,2%
Taxas -0,7%
Resultado   3,7%

 

O destaque da primeira quinzena foram as ações da Fibria que subiram 16% e geraram 2,9% de ganho para o fundo. O segundo maior lucro foi 2,7%, obtido com a Locamérica que subiu 12%. A medalha de bronze ficou com a Iochpe que após meses de lado avançou 17% e gerou 1,6% de ganho para o fundo. A maior perda da quinzena foi uma novata que começou com o pé esquerdo. Começamos a investir em Brasil Foods após o resultado do 4o trimestre, acreditando que o pior havia ficado para trás. Pouco tempo depois foi deflagrada a nova fase da operação carne fraca que derrubou as ações -15% e causou prejuízo de -1,5% ao fundo. A segunda maior perda da carteira foi Usiminas que caiu -10% após Trump anunciar a barreira ao aço brasileiro, e causou perda de -0,9% ao fundo. A carteira do Versa continua otimista com a recuperação da economia brasileira, e exposta à commodities.

Nesta quinzena lançamos o novo produto da casa, o Versa Fit. O fundo tem metade da exposição do Versa e o resto é investido em renda-fixa (LFTs). O objetivo do Fit é oferecer a oportunidade ao pequeno investidor de investir em um produto de risco. Por isso a aplicação mínima é R$500 e a movimentação R$100. O fundo está com R$10 milhões atualmente. Mais informações no site.

13 COMMENTS

  1. Confio muito na gestão do fundo mas fiquei preocupado com o investimento na encrencada brfoods. Vcs realmente acham q vale a pena o risco?

    • Sim, avaliamos que BrFoods está barata, mas o cenário ainda é nebuloso, por isso não temos uma posição maior. Gostamos de comprar empresas boas em momentos ruins. Quanto maior o risco, maior o retorno. Um abraço.

  2. Gostaria de saber se vocês pensam em reabrir temporariamente o Versa ou criar um novo fundo com as mesmas características. No momento penso em investir no Fit mas, o rendimento será sempre a metade do Versa , certo ?

  3. Luiz,

    Podemos dizer que o Versa, apesar da grande volatilidade pode ser considerado mais seguro do que um long only em um caso desastre eleitoral de outubro?

    pensei nisso, pois em caso de uma ruim eleição o capital externo poderia diminuir no ibovespa e consequentemente o capital brasileiro também.

    Um long only não teria muito para onde fugir, não é,? já que ele teria que continuar exposto em no mínimo 67%.

    O versa, após o susto e queda inicial teria capacidade( não certeza, claro) de montar um portifólio capaz de ganhar com a queda, não é?

    viajei muito?

    Abraços,
    Alan Jacobsen

  4. Boa tarde Luiz,

    Por gentileza, poderia nos informar se houve alguma mudança no corpo de análise do Fundo VERSA… digo isso pois fui informado de que houve saída de alguns sócios do fundo VERSA, migrando para o GTI.

    Se sim, você poderia nos informar quem irá compor a equipe do VERSA daqui em diante?

    Obrigado!

    • Boa tarde Pablo! Eu e o Marcus Bonaldi (RI e Risco) estamos saindo da GTI para a Versa. Juntaram-se a nós na Versa os analistas Pedro Pessoa, Paulo Valaci e Jairo Rytenband, alé do estagiário Arnaldo Vieira. Um abraço,

    • Boa tarde Rafael! No primeiro mês essa conta não vai funcionar, pois o Fit começou durante o mês de março. Nos próximos meses, deve ser aproximadamente isso. Você pode fazer a conta exata dividindo a cota do final do mês do Fit pela cota do final do mês anterior, e subtraindo 1. Por exemplo: se o Fit fechar março em 0,98 e terminal abril em 1,05 a rentabilidade de abril será 1,01/0,98 – 1 = 0,030612 ou 3,0612%. Lembro que é apenas um exemplo e não promessa de rentabilidade!
      Um abraço,

Deixe uma resposta